Edição #10 (Outubro '21)

€2,20

Edição #10 (Outubro '21)

€2,20

Nº de páginas: 24
Formato: A4, a cores
Inclui CD de oferta.

Todos os componentes da guitarra eléctrica são determinantes para a sua sonoridade final. A forma como todas as partes se unem num todo, seja através de parafusos ou cola, desempenham um papel determinante no timbre do instrumento, uma vez que todos estes componentes, e em que se incluem até mesmo os marcadores de escala, interagem entre si. A escolha da madeira para o corpo, por exemplo, que se assume como um dos aspectos mais importantes na construção de uma guitarra, poderá surtir diferentes efeitos mediante a aplicação de diferentes variáveis, como o tamanho da escala, motivo pelo qual existem tantas opções sónicas no mercado das guitarras eléctricas.

Diferentes madeiras apresentam diferentes propriedades de ressonância, sendo um dos elementos principais para a formação da voz de uma guitarra. O som resulta da transferência de energia resultante da vibração das cordas para a madeira que compõe o corpo e o braço, usando como veículo diferentes elementos como o cavalete, a pestana e os trastes, por sua vez amplificados e moldados a partir de uma configuração de pickups, efeitos e amplificadores presentes na cadeia de sinal, significando que o som acústico é manipulado em diferentes estágios electrónicos. O braço e o corpo de uma guitarra entram na equação através de uma construção de peças únicas ou combinando diferentes tipos de madeira que definem o que será o núcleo do timbre do instrumento, sendo para isso necessário conhecer as propriedades de cada material e do seu meio envolvente, uma vez que a mesma espécie pode produzir resultados díspares ao nascer em diferentes regiões. Elementos como o peso, densidade e até mesmo o granulado poderão apresentar diferenças, o que transforma certamente a busca pelo instrumento ideal numa autêntica aventura. O papel estético que cada madeira desempenha no produto final é também considerado pelos fabricantes, com a beleza dos grãos e a forma como se transformam mediante a aplicação de um acabamento a superar muitas vezes o potencial do timbre, como acontece com os topos folheados que não são mais do que elementos decorativos que ocupam o lugar de madeiras mais apropriadas ao timbre.

Esta edição dá então a conhecer as diferentes madeiras que podemos encontrar nas guitarras eléctricas.

Apenas 300 unidades restantes deste produto

Pode também estar interessado em